Madagáscar2018-12-11T09:51:55+00:00

Uma natureza com génio!

Diz-se muitas vezes que a Grande Ilha é um verdadeiro “Santuário da Natureza.” A frase parece tirada de um folheto comercial, mas há poucas expressões tão certas como esta, é verdadeiramente uma terra encantada!
Dezoito etnias coabitam na Grande Ilha. Este mosaico de rostos, cores, música e fragrâncias compõem um conjunto fascinante, como uma sinfonia humana. A ilha possui uma cultura secular onde lémures fazem companhia aos ancestrais, e onde estes últimos, regressam à terra no corpo de crocodilos, dançando com os vivos durante as festas onde se bebe rum. Viajar para Madagascar, é mergulhar num mundo diferente, onde as coisas e os espíritos convivem com os homens.
Madagascar é um dos países mais pobre do mundo. Sorridente, simpática, curiosa e ainda tão infeliz na sua vida quotidiana, a população malgaxe poderia dar lições de vida para muitos moralistas e outros fanáticos de qualquer obediência. A alegria das crianças que vos cumprimenta com um expressivo ‘Olá vazaha’ (‘Olá, estrangeiro’) não é apenas a oportunidade de uma bela foto: aquece o coração!

É nesta Grande Ilha que lhe propomos uma aventura que jamais esquecerá. Ao longo de mais de 3000km cruzando o pais de costa a costa, por pistas únicas, vai descobrir durante 16 dias a razão pela qual Madagascar causa tanto fascínio.

Partida de Lisboa (ou outra cidade) em horário a informar no voo com escala em Paris para Antananarivo. Chegada à noite, transfere para o hotel.
Alojamento: Noite a bordo
Refeições: A bordo
Actividades Extra: 0
O primeiro dia do nosso programa é dedicado à capital. A opinião geral é que Antananarivo pouco tem de interessante e quase nada para oferecer aos visitantes. Mas todos os lugares têm uma história e como todas as capitais esta também tem e por isso merece uma visita. O Palácio da Rainha é um lugar incontornável, com uma vista fabulosa sobre a cidade. A Rua da Independência com a sua multidão frenética o lugar mais autêntico para sentir bem a vida desta cidade. O lago Anosy no coração da capital e o Lemur Park já mais afastado são outros pontos que visitaremos. À tarde, entrega das viaturas e abastecimento das mesmas para os próximos dias. Jantar (não incluído) num restaurante da capital. Regresso ao hotel.
Alojamento: Hotel
Refeições: 0
Actividades Extra: 0
Partida bem cedo para o primeiro de dois longos dias por uma das pistas mais remotas e isoladas de Madagáscar. Ao longo destes 2 dias descobrirá uma parte de Madagáscar pouco conhecido, mas provavelmente o mais autêntico. As paisagens desta região até a costa Oeste frente ao Canal de Moçambique tem rasgos de um quadro impressionista, com a as suas pistas ziguezaguiando no cimo dos montes que caracterizam parte desta região e as suas aldeias de gente curiosa e humilde sempre de sorriso na cara. Estes 2 dias serão os mais exigentes em termos de condução devido ao mau estado da pista. A primeira noite será em acampamento. Uma noite bem passada a volta da fogueira e das muitas histórias que todos temos sempre para contar. A segunda noite será já na costa em Maintirano num pequeno e simples lodge.
Alojamento: Acampamento / Lodge
Refeições: Jantar dia 3
Actividades Extra: 0
Depois de uma pequena visita à praia e ao pequeno quais fluvial da vila, seguimos para mais uma pista intensa, em direção ao sul. Será a ultima etapa desta região menos turística e menos conhecida até Bekopaka, junto ao rio Manambolo. Aqui encontra-se uma das maravilhas naturais do país, o Parque Nacional Tsingy de Bemaraha. Chegada ao fim da tarde, ainda a tempo de apreciar da vista magnífica do lodge e do incrível por de sol desta região. Alojamento e jantar em lodge.
Alojamento: Lodge
Refeições: Pequeno almoço e Jantar
Actividades Extra: 0
Partida bem cedo para visitar a Grande Tsingy, espectacular maciço calcário esculpido pela erosão durante milhares de anos. O percurso pedestre pelas formações tem entre 3 e 4 horas e irá descobrir uma floresta secundária, cavernas, plataformas com vista panorâmica sobre este maciço único no mundo, e ainda vai atravessar uma ponte em suspensão. Tudo é perfeitamente seguro embora um pouco técnico e não pode ter vertigens nem ser claustrofóbico. Esta visita exige alguma preparação física. Regresso ao lodge para almoço. Tarde livre para descansar, conhecer a vila ou possibilidade de fazer um pequeno passeio de piroga e conhecer um pouco melhor o rio e descobrir outras belezas que se escondem nas suas margens. Alojamento e jantar no hotel.
Alojamento: Lodge
Refeições: Pensão Completa
Actividades Extra: Passeio de piroga
O dia começa com a travessia do rio em balsa. A pista do outro lado segue até Belo S/Tsiribihina uma vila junto ao rio com o mesmo nome. O almoço será num restaurante local (não incluído) considerado um dos mais carismáticos e procurados do país. Segue-se nova travessia de balsa, mais longa, pelo rio acima até ao início da ultima pista do dia. Pelo caminho a Avenida dos Embondeiros, um dos famosos “postais” de Madagáscar. Os primeiros kms de alcatrão dos últimos 4 dias estão a pouca distância, será a chegada a Morondava. Uma vila costeira, capital da região de Menabe. O alojamento e o jantar será em lodge.
Alojamento: Lodge
Refeições: Pequeno almoço e Jantar
Actividades Extra: 0
Início de um percurso inesquecível pela costa paradisíaca do Oeste de Madagascar, considerada a costa mais bonita do país. O percurso de hoje será curto para poder-mos chegar cedo antes do almoço a Belo S/Mer e aproveitar a beleza deste lugar junto ao mar. Resto do dia livre, ou possibilidade de conhecer a vila famosa devido à construção de barcaças, know-how herdado de um marinheiro bretão que chegou aqui para terminar seus dias. Alojamento e jantar no lodge.
Alojamento: Lodge
Refeições: Pequeno Almoço Almoço e Jantar
Actividades Extra: 0
Partida de madrugada para o dia mais longo do programa, sempre em pista com alguns troços em mau estado e ainda uma passagem de balsa no rio Mangoky. Passaremos pela vila de Morombé que quase parece uma vila fantasma. Continuamos pela costa quase junto ao mar e por uma floresta misteriosa de embondeiros até chegarmos ao nosso destino numa baia paradisíaca. Alojamento e jantar no lodge.
Alojamento: Lodge
Refeições: Pequeno Almoço e Jantar
Actividades Extra: 0
Depois do pequeno almoço, continuamos junto à costa, com algumas paragens junto ao mar para apreciar a beleza desta região. O canal de Moçambique, é conhecido por ser particularmente agitado com as suas aguas por vezes pouco convidativas a banhos calmos. Mas a natureza foi generosa com este pedaço de paraíso protegendo a costa com um recife com cerca de 80 km de comprimento ao longo da costa fazendo com que por momentos nos imaginemos à beira de um lago de águas turquesas não fosse o som das ondas a ecoarem lá no horizonte. Alojamento e jantar no lodge.
Alojamento: Lodge
Refeições: Pequeno almoço e Jantar
Actividades Extra: 0
Manhã livre para descansar, aproveitar a praia ou para fazer um mergulho de snorkeling nas aguas transparentes, depois de um passeio de piroga. Depois do almoço regressamos ao alcatrão e, seguimos para Ranohira. Deixando a costa, a paisagem volta a mudar bruscamente, agora parece que estamos no Oeste americano com vastas manchas douradas e vermelho do planalto de Horombe, onde as silhuetas finas das palmeiras estendem suas longas sombras ao entardecer. De repente, a planície dá lugar a ravinas e chagamos a Isalo, perto de vila de Ranohira. Incrível paisagem de western’s, este enorme maciço parece saído de um filme de em ficção científica, com suas formas incríveis. Alojamento e jantar em lodge..
Alojamento: Lodge
Refeições: Pequeno Almoço, Almoço e Jantar
Actividades Extra: Passeio de piroga e Snorkeling
Dia para descobrir o espectacular Parque Nacional de Isalo. O Isalo é composto por canions, picos de arenito que variam do vermelho ao rosa, cavernas, massas de granito esculpido pelo vento e pela água. Nesta paisagem, onde tudo parece mistério, o vento que sopra entre os maciços calcários é carregado de sentido. Talvez seja o murmúrio de um antepassado… A história do lugar cruza-se com as aventuras dos portugueses na época dos descobrimentos. Num dos lugares mais procurados, a Gruta dos Portugueses, mas que não iremos visitar por exigir 2 dias de marcha. Conta-se que naufragos portugueses lá teriam construído casas no século XVI. Alguns relatam que estes portugueses ali estabeleceram uma sociedade secreta, sob o comando de um tal Manuel, que casou com a filha do rei local e tornou-se um rei poderoso. A sua tribo teria levado o nome das crianças Zafy Manuel ou Manuel e muitos dos locais acreditam com orgulho que são descendentes deste português. Resto do dia livre. Alojamento e jantar em lodge.
Alojamento: Lodge
Refeições: Pequeno almoço e Jantar
Actividades Extra: 0
Depois de um dia mais relaxado este promete ser longo, e cansativo, mas cheio de emoção. A pista que nos espera vai levar-nos à costa Este, conhecida como a Costa da baunilha. Este troço é muito lento e acidentado, mas vai levar-nos até as fabulosas florestas luxuriantes de Madagascar que infelizmente são cada vez mais raras. A chegada ao hotel (o mais fraco do programa, mas único nesta cidade) será já de noite.
Alojamento: Lodge
Refeições: Pequeno Almoço e Jantar
Actividades Extra: 0
Recuperados da dureza do dia anterior, o percurso de hoje vai saber como um bálsamo para os sentidos, tal é a beleza e a riqueza das paisagens que vamos encontrar. Parece que entramos num país diferente. A costa Este banhada pelo Oceano Índico abriga os restos da grande floresta que cobria toda a ilha (savoka). Esta floresta estendia-se desde o Sul até ao norte. Os rios atravessam grandes espaços verdes e racham penhascos, onde crescem orquídeas em abundância e ravenalas, também conhecida como a arvore do viajante e símbolo de Madagáscar. A região é o berço da baunilha, do café e do cacau. Almoço em Manakara e chegada a Renomafana ao fim do dia. Jantar e alojamento em lodge.
Alojamento: Lodge
Refeições: Pequeno almoço e Jantar
Actividades Extra: 0
Neste dia vamos explorar o Parque Nacional Ranomafana. É o epicentro das regiões mais húmidas do país, aqui chove 9 meses por ano! A precipitação anual aqui é de 2.600 mm ( 90% de humidade). O parque Ranomafana (601 41 ha) é um local de encontro de diversos ecossistemas: floresta densa e húmida de altitude média, com algumas florestas tropicais onde abundam as delicadas orquídeas. O parque contém 115 espécies de aves (cerca de metade de todas as espécies de Madagascar), 62 espécies de répteis, 90 espécies de borboletas, roedores e insetos em abundância. Se o tempo permitir, poderá ter a sorte de observar algumas das de 12 espécies de lémures entre elas duas das mais raras: Hapalemur simus (ou Varibolomavo), e o bambu lemur (Hapalemur aureus), descoberto em 1987. Resto do dia para descansar da caminhada pelo parque, ou para visitar a vila no vale junto ao rio. Jantar e alojamento em lodge.
Alojamento: Lodge
Refeições: Pequeno almoço e Jantar
Actividades Extra: 0
Últimos kms de pista ainda junto ao PN Ranomafana até a nacional 7 que nos vai levar de regresso a Antananarivo. Jantar de despedida, entrega das viaturas e transfere para o aeroporto para o regresso em voo nocturno a Lisboa (ou outra cidade).
Alojamento: A bordo
Refeições: Pequeno almoço e Jantar
Actividades Extra: 0
Chegada a Lisboa ou a outra cidade de partida ao meio dia.
Fim da viagem.
A LANDVENTURE tem a seu cargo toda a logistica da viagem, os voos, o serviço de hotelaria, o aluguer das viaturas 4×4, as formalidades de fronteira e relações com as autoridades, o acompanhamento do grupo durante toda a viagem.
As viaturas 4×4 usadas neste programa serão partilhadas por 4 passageiros e respectivas bagagens. As viaturas possuem equipamento especial que permite viajar em autonomia total. Tendas nos tejadilhos (2 para 2 pessoas cada), equipamento de campismo, (mesa, cadeiras, e todos os utensílios para cozinhar e comer, (pratos, talheres, tachos, grelhas, fogão, etc…), botijas de gás, luzes exteriores, depósito de água) e depósito suplementar de combustível com autonomia para +/- 1000km. A condução pode portanto ser partilhada por todos. Cada viatura possuí um seguro de responsabilidade máxima que incluí danos próprios. As despesas de combustível são divididas pelos ocupantes de cada viatura. É possível, mediante suplemento, que as viaturas possam ser partilhadas apenas por 2 ou 3 participantes, sempre que for solicitado.

Preços por Pessoa

ADULTO EM DUPLO

1.990€

SUPLEMENTO SINGLE

790€

Condições de participação
 Liquidação de 50% do valor total no acto da inscrição, os restantes 50% até 30 dias antes do início da viagem.

Inclui

Viatura 4×4 com seguro base sem condutor
15 noites de alojamento em meia pensão
18 refeições (13 jantares e 5 almoços)
Entradas nos parques c/ guias locais
Visita a uma aldeia Tanala
Acompanhamento Landventure
Seguro de viagem
Taxas e IVA

Não inclui

Voos
Combustível ( +/- 80€ por pessoa)
Refeições não indicadas no programa
Caução da viatura (250€, pagos localmente) devolvidos no final da viagem.
Bebidas às refeições nos hóteis e extras de carácter pessoal
Travessias de balsa
Vistos e taxas alfandegárias

Voos

Valores indicativos em económica:
Lisboa/Antananarivo/Lisboa, desde:

990€

Consulte-nos para obter as tarifas aéreas actualizadas para partidas desta ou de outra cidade ou país.
Para partidas de outro país poderá ter de prever mais uma noite de alojamento à ida e/ou regresso.

CONDIÇÕES GERAIS
A presente informação é vinculativa para a agência salvo se cumulativamente:

• O programa o prever expressamente;
• As alterações ao mesmo sejam insignificantes;
• A informação da alteração seja prestada ao viajante em suporte duradouro;

As presentes condições gerais obedecem ao disposto no Decreto-lei n.º 17/2018 de 08 de Março.
As Condições Gerais cujo objecto seja uma Viagem Organizada ou Serviço de Viagem Conexo, as correspondentes fichas de informação normalizada e as condições particulares que constam da documentação de viagem facultada ao Viajante no momento de reserva da viagem consubstanciam o contrato de viagem que vincula as partes.

1. ORGANIZAÇÃO
1.1 A organização e comercialização desta viagem é da Tripemotion – Viagens e Turismo Lda, mais em diante designada “Agência”, com sede em Rua Mouzinho Magro, nº 36, 1º Drt 6000-251 Castelo Branco, Contribuinte Fiscal n.º 514298480, com o RNAVT n.º 6829, telefone 217657784, email geral@landventure.pt

2. INSCRIÇÕES
No acto da inscrição o Viajante deverá depositar um mínimo de 35% do preço do serviço, liquidando o restante até 21 dias antes do início do serviço. Se a inscrição tiver lugar a 21 dias ou menos da data do início do serviço, o preço total do mesmo deverá ser paga no acto da inscrição. A Agência reserva-se o direito de anular qualquer inscrição cujo pagamento não tenha sido efectuado nas condições acima mencionadas. As reservas encontram-se condicionadas à obtenção da parte dos fornecedores da confirmação de todos os serviços.

3. INFORMAÇÃO AO ABRIGO DA LEI N.º 144/2015 DE 8 DE SETEMBRO:
Nos termos da Lei n.º 144/2015 de 8 de Setembro na sua redacção actual, informamos que o Viajante poderá recorrer às seguintes Entidades de Resolução Alternativa de Litígios de Consumo:
i) Comissão Arbitral do Turismo de Portugal in www.turismodeportugal.pt;
ii) Outras entidades de Resolução Alternativa de Litígios de Consumo (RAL) disponíveis em www.consumidor.pt listas de Entidades RAL ou 707 788 787

4. RECLAMAÇÕES
4.1 Qualquer desconformidade na execução de um serviço de viagem incluído no contrato de viagem organizada tem de ser comunicada à agência de viagens organizadora ou retalhista por escrito ou outra forma adequada logo que tal desconformidade ocorra, ou seja, sem demora injustificada.
4.2 O direito a apresentar reclamações para efeitos de redução de preço ou direito a indemnização por falta de conformidade dos serviços de viagem incluídos na viagem organizada prescreve no prazo de 2 anos.

5. BAGAGEM
5.1 A agência é responsável pela bagagem nos termos legais;
5.2 O Viajante tem obrigação de reclamar junto da entidade prestadora dos serviços no momento de subtracção, deterioração ou destruição de bagagem.
5.3 No transporte internacional, em caso de dano na bagagem, a reclamação deverá ser feita por escrito ao transportador imediatamente após a verificação do dano, e no máximo 7 dias a contar da sua entrega. Estando em caso o mero atraso na entrega da bagagem a reclamação deverá ser feita dentro de 21 dias a contar da data de entrega da mesma.
5.4 A apresentação de tal reclamação será fundamento essencial para o accionamento da responsabilidade da Agência sobre a entidade prestadora do serviço.

6. LIMITES
6.1 A responsabilidade da agência terá como limite o montante máximo exigível às entidades prestadoras dos serviços, nos termos da Convenção de Montreal, de 28 de Maio de 1999, sobre Transporte Aéreo Internacional, e da Convenção de Berna, de 1961, sobre Transporte Ferroviário.
6.2 No que concerne aos transportes marítimos, a responsabilidade das agências de viagens, relativamente aos seus Viajantes, pela prestação de serviços de transporte, ou alojamento, quando for caso disso, por empresas de transportes marítimos, no caso de danos resultantes de dolo ou negligência destas, terá como limites os seguintes montantes:
a) € 441.436, em caso de morte ou danos corporais;
b) € 7.881, em caso de perda total ou parcial de bagagem ou da sua danificação;
c) € 31.424, em caso de perda de veículo automóvel, incluindo a bagagem nele contida;
d) € 10.375, em caso de perda de bagagem, acompanhada ou não, contida em veículo automóvel;
e) € 1.097, por danos na bagagem, em resultado da danificação do veículo automóvel.
6.3. Quando exista, a responsabilidade das agências de viagens e turismo pela deterioração, destruição e subtracção de bagagens ou outros artigos, em estabelecimentos de alojamento turístico, enquanto o Viajante aí se encontrar alojado, tem como limites:
a) € 1.397, globalmente;
b) € 449 por artigo;
c) O valor declarado pelo Viajante, quanto aos artigos depositados à guarda do estabelecimento de alojamento turístico.
6.4 A responsabilidade da agência por danos não corporais está contratualmente limitada ao valor correspondente a três vezes o preço do serviço vendido.

7. DESPESAS DE RESERVAS E DE ALTERAÇÃO
7.1 Por cada reserva serão cobradas as seguintes Despesas de Reserva: 25€
7.2 Despesas de Alterações: Por cada alteração (nomes, datas, tipo de apartamento ou quarto, viagem, etc) : 25€
Salientamos que a aceitação de tais alterações depende de aceitação por parte dos respectivos fornecedores.

8. DOCUMENTAÇÃO
8.1 O Viajante deverá possuir em boa ordem a sua documentação pessoal ou familiar, (bilhete de identidade, documentação militar, autorização para menores, vistos, certificado de vacinas e outros eventualmente exigidos). A agência declina qualquer responsabilidade pela recusa de concessão de vistos ou a não permissão de entrada ao Viajante em país estrangeiro; sendo ainda da conta do Viajante todo e qualquer custo que tal situação acarretar.
8.2 Viagens na União Europeia:
Viajantes (independentemente da idade) que se desloquem dentro da União Europeia deverão ser possuidores do respectivo documento de identificação civil (Passaporte; B.I, Cartão do Cidadão);
Para obtenção de assistência médica devem ser portadores do respectivo Cartão Europeu do Seguro de Doença;
Os nacionais de países não comunitários devem consultar informação específica quanto à documentação necessária para realização de viagem junto das embaixadas/ consulados dos países de origem;
8.3 Viagens fora da União Europeia:
Os Viajantes (independentemente da idade) que se desloquem para fora da União Europeia deverão ser possuidores do respectivo documento de identificação civil (passaporte) bem como do visto se necessário (obtenha tal informação junto da agência no momento da reserva);
Os nacionais de países não comunitários devem consultar informação específica quanto à documentação necessária para realização de viagem junto das embaixadas/ consulados dos países de origem;

9. ALTERAÇÕES SOLICITADAS PELO VIAJANTE
9.1 Caso os fornecedores da viagem em causa permitam, sempre que um Viajante, inscrito para uma determinada viagem, desejar mudar a sua inscrição para uma outra viagem ou para a mesma com partida em data diferente, ou outra eventual alteração, deverá pagar a taxa acima referida, como despesas de alteração. Contudo, quando a mudança tiver lugar com 21 dias ou menos de antecedência em relação à data da partida da viagem, para a qual o Viajante se encontra inscrito, ou se os fornecedores de serviços não aceitarem a alteração, fica sujeito às despesas e encargos previstos na cláusula “Rescisão do Contrato pelo Viajante”.
9.2 Após iniciada a viagem, se solicitada a alteração dos serviços contratados por motivos não imputáveis à agência (ex. ampliação das noites de estadia, alteração de voo) os preços dos serviços turísticos poderão não corresponder aos previamente informados e que motivaram a contratação.

10. CESSÃO DA INSCRIÇÃO (POSIÇÃO CONTRATUAL)
10.1 O viajante pode ceder a sua posição, fazendo-se substituir por outra pessoa que preencha todas as condições requeridas para a viagem organizada, desde que informe a agência de viagens e turismo, por forma escrita, até sete dias seguidos antes da data prevista para a partida.
10.2 O cedente e o cessionário são solidariamente responsáveis pelo pagamento do saldo em dívida e pelas taxas, os encargos ou custos adicionais originados pela cessão, os quais serão devidamente informados e comprovados pela agência de viagens e turismo.

11. ALTERAÇÕES A EFECTUAR PELA AGÊNCIA
11.1 Sempre que, antes do início da viagem organizada, (i) a agência de viagens e turismo se veja obrigada a alterar significativamente alguma das características principais dos serviços de viagem, (ii) ou não consiga ir de encontro às exigências especiais solicitada pelo Viajante; (iii) ou propuser o aumento do preço da viagem organizada em mais de 8%, o viajante pode, no prazo máximo de dois dias (corridos) e sempre até 72h antes da hora prevista para o início da viagem:
a) Aceitar a alteração proposta;
b) Rescindir o contrato, sem qualquer penalização, sendo reembolsado das quantias pagas;
c) Aceitar uma viagem organizada de substituição proposta pela agência de viagens e turismo, sendo reembolsado em caso de diferença de preço.
11.2 A ausência de resposta por parte do viajante no prazo fixado pela agência de viagens e turismo implicará a aceitação tácita da alteração proposta ou o cancelamento da viagem com a aplicação das respectivas taxas de rescisão previstas na cláusula supra.

12. RESCISÃO DO CONTRATO PELA AGÊNCIA
12.1 Quando a viagem esteja dependente de um número mínimo de participantes a Agência reserva-se o direito de cancelar a viagem organizada caso o número de participantes alcançado seja inferior ao mínimo. Nestes casos, o viajante será informado por escrito do cancelamento no prazo de:
a) 20 dias antes do início da viagem organizada, no caso de viagens com duração superior a seis dias;
b) 7 dias antes do início da viagem organizada, no caso de viagens com duração de dois a seis dias;
c) 48 horas antes do início da viagem organizada, no caso de viagens com duração inferior a dois dias.
12.2 Antes do início da viagem organizada a agência de viagens e turismo poderá ainda rescindir o contrato se for impedida de executar o mesmo devido a circunstâncias inevitáveis e excepcionais.
12.3 A rescisão do contrato de viagem pela agência nos termos acima referidos apenas confere ao viajante o direito ao reembolso integral dos pagamentos efectuados no prazo máximo de 14 dias após a rescisão do contrato de viagem

13. ALTERAÇÃO AO PREÇO
13.1 Os preços constantes do programa estão baseados nos custos dos serviços e taxas de câmbio vigentes à data de impressão deste programa, pelo que estão sujeitos a alterações (aumento ou redução de preço) que resultem de variações no custo dos transportes ou do combustível, impostos, taxas e flutuações cambiais até 20 dias antes da data de viagem.
13.2 Caso o aumento em causa exceda 8% do preço total da viagem organizada, aplicar-se-á o disposto na cláusula “ALTERAÇÕES A EFECTUAR PELA AGÊNCIA”.
13.3 Em caso de redução de preço a agência de viagens e turismo reserva-se o direito de deduzir ao reembolso a efectuar ao viajante as correspondentes despesas administrativas, que a pedido do viajante serão justificadas.

14. REEMBOLSOS
Depois de iniciada a viagem não é devido qualquer reembolso por serviços não utilizados pelo Viajante por motivos de força maior ou por causa imputável ao Viajante, salvo reembolso pelos respectivos fornecedores. A não prestação de serviços previstos no programa de viagem por causas imputáveis à agência organizadora e caso não seja possível a substituição por outros equivalentes, confere ao Viajante o direito a ser reembolsado pela diferença entre o preço dos serviços previstos e o dos efectivamente prestados.

15. RESCISÃO DO CONTRATO PELO VIAJANTE
15.1 O viajante é livre de desistir da viagem a todo o tempo antes do início da viagem.
15.2 Tal rescisão implica que o mesmo seja responsável pelo pagamento de todos os encargos a que o início do cumprimento do contrato e a sua desistência dêem lugar, menos a reafectação de serviços e as economias de custos.
15.3 Quando seja caso disso, o Viajante será reembolsado pela diferença entre a quantia paga e os montantes acima referidos. Na presente situação o reembolso será efectuado, deduzidos da taxa de rescisão, no prazo máximo de 14 dias após a rescisão do contrato de viagem.
15.4 O viajante tem ainda direito a rescindir o contrato de viagem antes do início da mesma sem pagar qualquer taxa de rescisão, caso se verifiquem circunstâncias inevitáveis e excepcionais no local de destino ou na sua proximidade imediata que afectem consideravelmente a realização da mesma ou o transporte dos passageiros para o destino. A rescisão do contrato de viagem nesta situação apenas confere ao viajante o direito ao reembolso integral dos pagamentos efectuados.

16. RESPONSABILIDADE
16.1 A agência de viagens e turismo é responsável pela correcta execução de todos os serviços de viagem incluídos no contrato de viagem.
16.2 Quando se tratar de viagens organizadas, as agências de viagens e turismo são responsáveis perante os Viajantes, ainda que os serviços devam ser executados por terceiros e sem prejuízo do direito de regresso, nos termos gerais aplicáveis.
16.3 Nos restantes serviços de viagens, a agência de viagens e turismo responde pela correcta emissão dos títulos de alojamento e de transporte e ainda pela escolha culposa dos prestadores de serviços, caso estes não tenham sido sugeridos pelo viajante.
16.4 A agência de viagens e turismo que intervenha como intermediárias em vendas ou reservas de serviços de viagem avulsos é responsável pelos erros de emissão dos respectivos títulos, mesmo nos casos decorrentes de deficiências técnicas nos sistemas de reservas que lhes sejam imputáveis.
16.5 A agência de viagens e turismo é responsável por quaisquer erros devido a deficiências técnicas no sistema de reservas que lhe sejam imputáveis e, se tiver aceitado proceder à reserva de uma viagem organizada ou de serviços de viagem que façam parte de serviços de viagem conexos, pelos erros cometidos durante o processo de reserva.
16.6 A agência de viagens e turismo não é responsável por erros na reserva que sejam imputáveis ao viajante ou que sejam causados por circunstâncias inevitáveis e excepcionais.

17. ASSISTÊNCIA
17.1 Em caso de dificuldades do viajante, ou quando por razões que não lhe forem imputáveis, este não possa terminar a viagem organizada, a agência de viagens e turismo dará a seguinte assistência:
a) Disponibilização de informações adequadas sobre os serviços de saúde, as autoridades locais e a assistência consular; e
b) Auxilio ao viajante na realização de comunicações à distância e a encontrar soluções alternativas de viagem.
17.2 Caso a dificuldade que fundamenta o pedido de assistência tenha sido causada pelo viajante de forma deliberada ou por negligência, a agência de viagens e turismo poderá cobrar uma taxa no valor dos custos em que incorreu em virtude da prestação dessa assistência.
17.3 Se devido a circunstâncias inevitáveis e excepcionais, o viajante não puder regressar, a agência de viagens e turismo organizadora é responsável por assegurar os custos de alojamento necessários, se possível de categoria equivalente, por um período não superior a três noites por viajante. A agência de viagens e turismo retalhista é solidariamente responsável pela obrigação em causa, sem prejuízo do direito de regresso, nos termos gerais aplicáveis.
17.4 A limitação dos custos prevista supra não se aplica às pessoas com mobilidade reduzida, nem aos respectivos acompanhantes, às grávidas e às crianças não acompanhadas, nem às pessoas que necessitem de cuidados médicos específicos, desde que a agência de viagens e turismo tenha sido notificada dessas necessidades específicas pelo menos 48 horas antes do início da viagem organizada.

18. INSOLVÊNCIA
Em caso de insolvência da agência de viagens e turismo o viajante pode recorrer ao Fundo de Garantia de Viagens e Turismo, devendo para tal recorrer ao Turismo de Portugal I.P entidade responsável pelo respectivo accionamento: Turismo de Portugal, I.P.
Rua Ivone Silva, Lote 6, 1050-124 Lisboa – Tel. 211 140 200 | Fax. 211 140 830 – info@turismodeportugal.pt

19. SEGUROS
19.1 A responsabilidade da agência e emergentes das obrigações assumidas, encontra-se garantida por seguro de responsabilidade civil na Companhia Victoria, apólice n.º 11127252, no montante de 75,000.00€ e nos termos da legislação em vigor.
19.2 A agência disponibiliza ainda a venda de seguros que poderão ser adquiridos em função da viagem para garantia de situações de assistência e despesas de cancelamento.

20. IVA
Os preços mencionados neste programa reflectem já o Imposto de Valor Acrescentado à taxa e regime em vigor.
NOTAS:

• As presentes condições gerais poderão ser complementadas por quaisquer outras específicas desde que devidamente acordadas pelas partes.
• Os preços dos programas estão baseados na cotização média do dólar ou da moeda do país de destino, pelo que qualquer derivação relevante desta moeda poderá implicar uma revisão dos preços da viagem nos termos constantes da cláusula “alteração de preço”.
• Devido às constantes alterações do preço dos combustíveis sobre os preços praticados poderá haver alteração do suplemento de combustível inserido no preço nos termos constantes da cláusula “alteração de preço”.
• As categorias dos hotéis e cruzeiros apresentados nesta brochura seguem as normas de qualidade do pais de acolhimento, podendo os mesmos ser alterados por outros similares quando por motivos alheios à agência não seja possível manter ou confirmar a reserva existente, obrigando-se a agência a informar o Viajante logo que de tal tenha conhecimento.

INFORMAÇÕES GERAIS:

HORAS DE CHEGADA OU PARTIDA:
As horas de partida e de chegada estão indicadas na hora local do respectivo pais e de acordo com horários das respectivas companhias aérea à data de impressão deste programa, podendo por isso ser sujeitas a alteração.

HOTÉIS/ APARTAMENTOS:
Apartamentos – No caso do alojamento ser contratado em apartamento é da responsabilidade do Viajante a informação do número de pessoas que irão ocupar o apartamento. No caso de se apresentarem mais pessoas que as reservadas, os apartamentos poderão recusar a entradas.
Hotéis – O preço apresentado é por pessoa e estão baseados numa ocupação dupla. Nem todos os hotéis dispõem de quarto triplo sendo por norma colocada uma cama extra que pode não ser de idêntica qualidade. Nos quartos equipados com duas camas ou casal, o triplo pode ser constituído apenas por aquelas camas.
A relação dos hotéis e apartamentos constantes dos programas é indicativa assim como a sua categoria que respeita a critérios e classificações locais cujos critérios por vezes são distintos dos utilizados em Portugal.

REFEIÇÕES:
Salvo indicações em contrário, os preços apresentados para os suplementos de Meia Pensão e Pensão Completa não incluem bebidas.
Nas chegadas ao hotel após a 19h o primeiro serviço de refeição será o pequeno-almoço do dia seguinte, no último dia e salvo possibilidade de late check-out, o ultimo serviço do hotel será o pequeno-almoço.

HORÁRIOS DE ENTRADA E SAÍDA:
As horas e entrada e saída no primeiro e último dia, serão definidas em função do primeiro e ultimo serviço. Em regra, sem carácter vinculativo os quartos podem ser utilizados a partir das 14h do dia de chegada e deverão ser deixados livres até as 12h do dia de saída.
Nos apartamentos a entrada verifica-se geralmente pelas 17h do dia de chegada e deverão ser deixados livres até as 10h do dia de saída.

CONDIÇÕES ESPECIAIS PARA CRIANÇAS:
Dada a diversidade de condições aplicadas às crianças (destino e fornecedor) recomenda-se questionar sempre as condições especiais que porventura sejam aplicadas à viagem em causa.

Loading...

Junte-se a nós nesta aventura!

Gostava de participar nesta expedição, tem uma questão ou deseja mais informações?

Não hesite entre já em contacto connosco!